Táxi

DECRETO Nº 52.066, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2010

Fixa novos valores para o serviço de táxis

no Município de São Paulo.

GILBERTO KASSAB, Prefeito do Município de São Paulo, no uso

das atribuições que lhe são conferidas por lei,

D E C R E T A:

Art. 1º. Ficam estabelecidas, a partir de 00h00 (zero hora) do

dia 15 de janeiro de 2011, para o serviço de táxis no Município

de São Paulo, nas Categorias Comum, Comum-Rádio, Táxi

Acessível Comum-Rádio, Especial e Luxo, as seguintes tarifas:

I – Categoria Comum:

a) bandeirada: R$ 4,10 (quatro reais e dez centavos);

b) tarifa quilométrica: R$ 2,50 (dois reais e cinquenta centavos);

c) tarifa horária: R$ 33,00 (trinta e três reais);

II – Categoria Comum-Rádio e Táxi Acessível Comum-Rádio:

a) bandeirada: R$ 4,10 (quatro reais e dez centavos);

b) tarifa quilométrica: R$ 2,50 (dois reais e cinquenta centavos);

c) tarifa horária: R$ 33,00 (trinta e três reais);

III – Categoria Especial:

a) bandeirada: R$ 5,13 (cinco reais e treze centavos);

b) tarifa quilométrica: R$ 3,13 (três reais e treze centavos);

c) tarifa horária: R$ 41,25 (quarenta e um reais e vinte e cinco

centavos);

IV – Categoria Luxo:

a) bandeirada: R$ 6,15 (seis reais e quinze centavos);

b) tarifa quilométrica: R$ 3,75 (três reais e setenta e cinco

centavos);

c) tarifa horária: R$ 49,50 (quarenta e nove reais e cinquenta

centavos).

§ 1º. As tarifas estabelecidas no “caput” deste artigo terão os

seguintes acréscimos:

I – adicional de viagens metropolitanas: 50% (cinquenta por

cento) no valor da corrida, a ser cobrado no final do percurso,

sobre o valor total marcado no taxímetro, se não houver retorno

do passageiro;

II – adicional de rádio-chamada, correspondente a uma bandeirada,

no valor de R$ 4,10 (quatro reais e dez centavos) para

a Categoria Comum-Rádio e R$ 5,13 (cinco reais e treze

centavos) para a Categoria Especial, a ser cobrado no final

das respectivas corridas;

III – adicional de rádio-chamada com hora marcada, correspondente

a duas bandeiradas, no valor de R$ 8,20 (oito reais e

vinte centavos) para a Categoria Comum-Rádio e R$ 10,25

(dez reais e vinte e cinco centavos) para a Categoria Especial,

a ser cobrado no final das respectivas corridas;

IV – adicional de bagagem, quando utilizado o porta malas,

correspondente ao valor da tarifa quilométrica na Bandeira

1 da respectiva categoria, no valor de R$ 2,50 (dois reais e

cinquenta centavos) para as Categorias Comum e Comum-

Rádio, R$ 3,13 (três reais e treze centavos) para a Categoria

Especial e R$ 3,75 (três reais e setenta e cinco centavos)

para a Categoria Luxo, estando isentos do pagamento pelo

transporte de cadeira de rodas ou de aparelhos ortopédicos

as pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, inclusive

temporária, bem como os idosos.

§ 2º. As viagens realizadas de qualquer ponto do Município de

São Paulo exclusivamente para o Aeroporto Internacional de

São Paulo/Guarulhos – Governador André Franco Montoro, situado

no Município de Guarulhos, ficam isentas de cobrança do

adicional de tarifa para serviço de táxi a que se refere o inciso I

do § 1º deste artigo.

§ 3º. Quando o serviço for prestado aos domingos e feriados

municipais, estaduais e federais, ou no período compreendido

entre 20h00 (vinte horas) e 6h00 (seis horas) nos dias úteis,

será utilizada Bandeira 2, com acréscimo de 30% (trinta por

cento) na tarifa quilométrica, para todas as Categorias do

Sistema Táxi.

Art. 2º. A verificação dos taxímetros será procedida pelo Instituto

de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo, nos termos

das normas estabelecidas e em consonância com o disposto

neste decreto.

§ 1º. Os táxis do Município de São Paulo ficam obrigados a

proceder à verificação dos respectivos taxímetros, nos prazos

estabelecidos pelo IPEM-SP, findos os quais o veículo que não

tiver o taxímetro verificado estará sujeito à apreensão pelo

Departamento de Transportes Públicos – DTP, sem prejuízo das

demais sanções cabíveis.

§ 2º. Fica autorizada, provisoriamente, a cobrança das tarifas

dos táxis das Categorias Comum, Comum-Rádio e Táxi

Acessível Comum-Rádio de acordo com as tabelas de preços

elaboradas pela Secretaria Municipal de Transportes, constantes

dos Anexos I e II integrantes deste decreto, enquanto não for

procedida a verificação dos taxímetros, nos prazos a serem

estabelecidos pela referida Secretaria.

§ 3º. As Categorias Especial, Luxo e Táxi Acessível Comum-

Rádio serão verificadas a partir da vigência deste decreto.

§ 4º. Cada motorista deverá, obrigatoriamente, portar 2 (duas)

tabelas, sendo uma afixada no vidro lateral traseiro esquerdo

do veículo e a outra para informação ao passageiro no ato da

cobrança.

§ 5º. As tabelas deverão ter as seguintes características:

§ 6º. O Sindicato dos Taxistas Autônomos de São Paulo e a

Associação das Empresas de Táxi de Frota do Município de São

Paulo – ADETAX arcarão com o custo de impressão das tabelas,

conforme modelo a ser fornecido pela Secretaria Municipal de

Transportes, no número de condutores de veículos, de autônomos

e de empresas.

§ 7º. As tabelas referidas neste artigo deverão ser preenchidas

com o número da placa do veículo no campo específico.

§ 8º. A distribuição das tabelas para os condutores

de veículos autônomos e de empresas será efetuada

na sede do Sindicato dos Taxistas Autônomos de São

Paulo, situado na Rua Estado de Israel nº 833, Vila

Clementino, e na Associação de Empresas de Táxi de

Frota do Município de São Paulo – ADETAX, situada na

Avenida Prestes Maia nº 241, 11º andar, salas 1117 e

1118, Centro, a partir de 00h00 (zero hora) do dia 15 de

janeiro de 2011 até às 18h00 (dezoito horas) do dia 21

de janeiro de 2011.

§ 9º. As tabelas poderão ser retiradas por qualquer pessoa, mediante

a apresentação do Alvará de Estacionamento e Cadastro

do Condutor, ambos em validade.

Art. 3º. É vedada a reprodução total ou parcial das

tabelas de que trata este decreto por pessoas ou entidades

não autorizadas pela Secretaria Municipal de

Transportes.

Art. 4º. Para renovação ou transferência de alvarás de taxistas

autônomos, bem como nos pedidos de registro de preposto ou

expedição de licença específica a que alude o § 2º do artigo 2º

da Lei nº 7.329, de 11 de julho de 1969, introduzido pela Lei nº

13.115, de 6 de abril de 2001, deverá ser apresentada guia de

contribuição sindical.

Art. 5º. A inobservância do estabelecido neste decreto sujeitará

o infrator às penalidades previstas em lei.

Art. 6º. Este decreto entrará em vigor na data de sua publicação,

revogado o Decreto nº 47.936, de 30 de novembro de

2006.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, aos 30 de dezembro

de 2010, 457º da fundação de São Paulo.

GILBERTO KASSAB, PREFEITO

MARCELO CARDINALE BRANCO, Secretária Municipal de Transportes

NELSON HERVEY COSTA, Secretário do Governo Municipal

Publicado na Secretaria do Governo Municipal, em 30 de dezembro

de 2010.

DOC 31.12.10

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: